segunda-feira, 10 de maio de 2010

Como eu podia ser assim tão transparente para ele quando, pelo menos em cinqüenta por cento das vezes, não fazia a menor idéia do que estaria passando pela sua cabeça? E era eu que ia ao colégio. Era eu que sabia ler e escrever. Era eu o inteligente. Hassan não era capaz de ler nem
um livro de primeira série, mas podia me ler com a maior facilidade. Era um tanto perturbador, mas também um pouco reconfortante ter alguém que sempre sabia do que você estava precisando.

2 comentários:

Prof. Adinalzir disse...

O seu blog como sempre é show de bola!

Meu blog está concorrendo ao prêmio TopBlog 2010. Conto com o seu voto no link abaixo!

http://www.topblog.com.br/2010/index.php?pg=busca&c_b=116942

Abraços,

Prof. Adinalzir Pereira
http://saibahistoria.blogspot.com/

james emanuel de albuquerque disse...

Interessante, instrutivo e curioso.

Belo blog.



Um abraço.